Tipo de Imóvel

Área de Favoritos

Registre-se para adicionar um imóvel ao favorito.


Share Living, o mais novo conceito de imóvel compartilhado.

Legenda

Baseado no conceito das repúblicas estudantis, o Share Living vem chamando à atenção de jovens estudantes que estão em busca de um modo mais prático e econômico de morar. São apartamentos em prédios residenciais em funcionam como imóveis-dormitórios, podem ter quartos individuais ou coletivos. Já as áreas comuns como lavanderia e cozinha são compartilhadas para o uso de todos os moradores.

A modalidade oferece pacotes onde, além do aluguel também estão incluídos os móveis, limpeza dos apartamentos, energia elétrica, internet e portaria 24 horas. Tanta facilidade e economia fez com que o número desse tipo de empreendimento crescer na cidade de São Paulo, aumentando o otimismo do mercado imobiliário. 

Especializada em moradia estudantil, a Share Student Living é uma empresa do Grupo Mitre trouxe para o Brasil um conceito mais moderno de moradia para estudantes oferecendo em parceria com a Redstone Residential uma experiência diferenciada. 

Segundo diz Fabrício Mitre, presidente do grupo, “É ir muito além de um local para morar. O acolhimento dos jovens envolve atividades de integração e acadêmico-profissionais que visam potencializar os seus residentes”.

Com um aluguel em torno de R$ 2.500 o Share Student Living conta com salas de estudos, recepção 24 horas, wi-fi de alta velocidade em todo o prédio, além de já ser incluído no valor da locação condomínio, IPTU e a faxina periódica.

Para o arquiteto Cadu Rocha, da Dávila Arquitetura a maior vantagem de se optar por um share living é a economia. Segundo ele, “As desvantagens estão diretamente relacionadas às próprias vantagens: economia de recursos e espaço, vivência comunitária e compartilhamento. Não terá o mesmo conforto que teria com uma residência exclusiva”.

O arquiteto ainda ressalta que o crescimento da procura por esse tipo de empreendimento se dá por uma mudança de cenário no país. Cadu Rocha diz que, “O público-alvo principal são os estudantes, porque eles demandam esse tipo de praticidade quando estudam longe de casa, o que já era quase obrigatório nos Estados Unidos e que está se tornando cada vez mais comum no Brasil”.

O começo do share living pode até parecer tímido, mas não há dúvidas que o conceito tem tudo para conquistar um espaço cada vez maior no mercado imobiliário. 
 

Envie-nos um Whats
Você não adicionou nenhum imóvel ao favoritos.